O GRUPO – NOSSA CAMINHADA

Atualmente

Nossa Historia

A partir da implantação do Programa Vocacional da Secretária Municipal de Cultura de São Paulo, em 2004, surgiram vários grupos de teatro no CEU Navegantes.

Em 2005 a partir da junção dos grupos Comarte, Calados que Falam e Turma de Iniciantes, nasceu a Identidade Oculta Cia. Teatral (hoje nomeado Grupo Identidade Oculta).

O Grupo Identidade Oculta participou do Programa Vocacional de 2005 a 2011 e pode contar com a Orientação Artistica de: Sidney Caria, Ipojucan Pereira, Marcelo Reis, Marcelo Correia, Stella Tobar, Ricardo Gimenes e Murilo de Paula. Durante este período o grupo participou de diversas mostras, projetos e festivais promovidos pelo​ Programa Vocacional junto a Secretaria Municipal de Cultura.

Em 2012, diante das necessidades técnicas e do desejo coletivo de emancipação, o grupo passa a ocupar a Associação Comunitária Cantinho do Céu, dando continuidade aos seus processos criativos e ações culturais. Neste mesmo ano, o grupo é contemplado pelo programa VAI, com o projeto “Canja dos Artistas”. O intuito do projeto era apropriar-se da Associação Comunitária Cantinho do Céu e fomentar artisticamente o espaço. O projeto pode contar com a participação dos seguintes Grupos e Artistas do Grajaú:

  • Enchendo Laje e soltando Pipa Cia. Teatral – O Nome não Importa
  • Sunday Clown – Vida de Artista
  • Paulo Henrique Sant´ Anna – De Canto em Canto, De conto em Conto
  • Cia. Humbalada de Teatro – O Cidadão Perfeito

No ano de 2013 novamente o grupo foi contemplado pelo Programa VAI, desta vez com o projeto “Refletindo o Espaço Oculto” que teve como objetivo instrumentalizar o núcleo artístico do grupo com oficinas de:

  • Dramaturgia – Evill Rebouças
  • Corpo e Movimento – Adriana Gerizani
  • Ritmo e Voz – Chiquinho de Paula
  • Comicidade – Tatiana Monte
  • Percussão – Paulo Henrique Sant’ Anna

Todas as oficinas foram abertas ao público e podemos contar com a participação de artistas locais e professoras que atuavam em escolas públicas da região. Ao final do ciclo de oficinas, foram realizadas 05 apresentações gratuitas do espetáculo “O Lobo que há em mim”.

A partir do segundo semestre de 2015 o grupo iniciou a pesquisa do projeto “Francisca” tendo como eixo norteador a investigação da mulher silenciada na sociedade, debruçando-se na poética de João Guimarães Rosa partindo da leitura coletiva do livro Grande Sertão: Veredas.

Em 2016 com apoio do programa VAI 2, realizamos diversas apresentações dos fragmentos cênico-dramatúrgicos, desde as apresentações previstas no projeto, até as parcerias que estabeleceram-se ao longo do trabalho.

Parcerias

  • Feira livre do caos – Ação do Programa Vocacional
  • Mostra tudo pá nóis – Núcleo Pele
  • 2a mostra grajaú – Cia Humbalada de Teatro
  • MOVA (Movimento de Alfabetização de Jovens e Adultos) – Associação Comunitária Cantinho do Céu

Apresentações previstas

  • Parque linear Lago Azul
  • Parque Jardim Prainha
  • Jardim Lucélia
  • Jardim Tangara
  • Cantinho do Céu

As apresentações previstas no projeto aconteceram em locais abertos visando promover a arte de forma democrática e abrindo maiores possibilidades de tornar nosso trabalho conhecido por diferentes públicos.

LINHA DO TEMPO


2005 – Espetáculo A Casa das Bonecas
2006 – Espetáculo Inocentes do Brasil
2007 – Pesquisa sobre vida e obra de Nelson Rodrigues
2008 – Espetáculo “Nelson em Nós 1 – O Beijo no Asfalto”
2008 – Projeto Sarau do Oculto
2009 – Projeto Sarau do Oculto
2010 – Reestruturação do Grupo
2011 – Espetáculo “As Mulheres de Nelson” – Resultado do Workshop ministrado por Renato Borghi e Elcio Nogueira
2011 – Espetáculo “O Lobo que há em mim”
2012 – Ocupação da Associação Comunitária Cantinho do Céu – Projeto Canja dos Artistas – Espetáculo “O Lobo que há em mim” – Programa VAI (valorização de iniciativas culturais)
2013 – Projeto Refletindo o Espaço Oculto; Espetáculo “O Lobo que há em mim” Programa VAI (valorização de iniciativas culturais)
2014 – Reestruturação do Grupo
2015 – Início do processo de pesquisa Francisca
2016 – Projeto “Francisca: Travessia” Programa VAI 2 (valorização de iniciativas culturais)

ASSOCIAÇÃO COMUNITÁRIA CANTINHO DO CÉU


Desde meados de 2012 temos como morada poética a Associação Comunitária Cantinho do Céu, localizada na Rua Francisco Inácio Solano, 61, Bairro Cantinho do Céu. Local no qual Re-existimos. Local no qual brota nossa poesia. Local no qual lapidamos diariamente a reconstrução dos laços de afeto entre a comunidade e o espaço que nem sempre é visto como um local de fato comunitário/público.

Em setembro de 2016 nos deparamos com uma grande quantidade de lixo jogada na frente da Associação. Colocaram fogo em um colchão, o fogo se espalhou pelo portão e as chamas queimaram uma parte da carroça que usamos como palco nas apresentações. Esse episódio nos tirou algumas lágrimas. Mas também impulsionou nossa vontade de fazer, de provocar a comunidade local de forma artística. Convidamos as artistas Sabrina Fênix e Thais Carneiro para desenvolverem um mural na frente da Associação. O grafite que vem sendo realizado, representa figuras femininas, que dialogam com a dramaturgia desenvolvida ao longo do processo de pesquisa do projeto Francisca: Travessia e com nossa perspectiva afetiva da realidade local.

Com o apoio do Programa VAI 2 de 2016 o Grupo Identidade Oculta pode realizar algumas reformas dentro da Associação Comunitária Cantinho do Céu, com serviços fundamentais para segurança e bem-estar de todas as pessoas que realizam diversas atividades dentro do espaço.

  • Serviços realizados: Reforma da elétrica (pátio externo, salas, cozinha e banheiros), reforma do piso do pátio externo, pintura das paredes do pátio externo.

Em parceria com o Presidente da Associação, foi instalado um novo portão a entrada do espaço e o mesmo arcou financeiramente com a compra de sprays para a pintura da faixada.

Neste amontado de ações o vínculo afetivo vem se fortalecendo junto à comunidade. A relação que até bem pouco tempo atrás era um tanto hostil, vem abrindo espaço para o reconhecimento do trabalho que estamos desenvolvendo e abrindo dialogo com moradores, comerciantes, artistas e coletivos locais e com os projetos internos que acontecem na Associação.